Tiroteio em Água Clara: Após homicídio, autor do crime tenta ferir policiais, é morto e dois vão presos

Publicado em: 23/02/2021

Na noite de segunda-feira (22) às 19 horas, as equipes policiais militares e civis de Água Clara, foram solicitadas a verificar um homicídio ocorrido na rua Abelo Ferreira de Oliveira nº 171, cruzamento com a rua Rio Verde. Tendo desfecho da operação, próximo as 23h30 na rua E, núcleo Barra Mansa, com um óbito, policiais feridos e duas prisões.

Chegado ao local, verificou-se o óbito do cidadão nominado como D, aparentemente, por meio de degola. A vítima foi encontrada no local com grande ferimento provocado por instrumento cortante no pescoço, ele havia participado de um jogo de futebol em que houve discussão. Em razão da divergência, dois indivíduos iniciaram perseguição à vítima, que foi morta a facadas, e seu amigo, que conseguiu escapar.

Cidadãos reconheceram como sendo o autor do homicídio outro cidadão conhecido como F. J. Conforme os próprios populares, o autor do crime se valia de tráfico de drogas e seria de elevada periculosidade, tendo iniciado tentativa de fuga, possivelmente armado com facão. Em razão da extrema periculosidade, as equipes se uniram e iniciaram incessantes e ininterruptas buscas. A população revoltada arguia por justiça.

A equipe policial militar composta pelo policial civil F. e policiais militares 1º tenente W. L., Cabo W., Soldado O. e Soldado B. realizaram o cerco no imóvel no qual visualizaram o homicida F. adentrando. Após o cerco bradaram que o imóvel estava cercado pela polícia. Entretanto o autor do homicídio já iniciou sua resistência não saindo do imóvel.

Após incessantes ordens para que o cidadão saísse do imóvel, ocorreu a necessidade de adentrar taticamente o imóvel. A porta se encontrava aberta, sendo assim, o 1º tenente juntamente com o policial Civil F. ingressaram na casa e conseguiram render por verbalização dois cidadãos de nomes J. M. e J. C. No entanto, F., autor do homicídio, havia se escondido sob uma cama leve, ao passo que se levantou de uma vez utilizando uma faca e com fúria atentou contra o policial civil, ao passo que houve necessidade de serem efetuados disparos contra os membros inferiores de referido, sendo que o Policial Civil F. se afastou para trás.

O criminoso empunhando a faca continuou a tentativa de homicídio contra os policiais, desta vez investindo contra o Tenente W. L., que se colocava entre o suspeito e a porta de saída. No mesmo momento F. se voltou contra o policial militar e com a faca investiu contra esse, visando fugir. Momento em que o tenente teve que se afastar e bradar para que o cidadão largasse a faca.

Dada a gravidade da investida do criminoso houve necessidade de efetuar mais um disparo contra F. O militar se afastou, em rápido movimento, torceu o joelho e o pulso, contudo resguardou a própria vida.

O policial civil F. também foi bem-sucedido em resguardar a própria vida, caindo ao chão com vida. Os militares apreenderam a faca e a fim de resguardar também a vida do acusado, imediatamente iniciaram remoção em caráter de urgência ao hospital municipal. Contudo, logo após a chegada, a equipe médica constatou o óbito. Inicialmente verificaram-se duas perfurações por arma de fogo nos membros inferiores (uma na perna direita e uma na perna esquerda) e uma perfuração no tórax lado direito.

O policial civil não registrou lesão. O 1º tenente recebeu atendimento médico, passou por raio-X e teve registro de escoriações no pulso e torção no joelho esquerdo devido ao fato de retrair para evitar ser atingido. Após o ato, isolou-se o local e acionou-se a perícia. Ambos os policiais, declararam abalo psicológico devido à gravidade da ação. Já no hospital, foram localizadas aproximadamente 48 gramas de substância análoga à maconha com o cidadão F. Realizaram-se buscas no interior do imóvel e foram localizadas aproximadamente 310 gramas de substância análoga à maconha, uma balança de precisão na cor prata, com a escrita ‘diamond’ e uma faca prateada de aproximadamente 31 centímetros de comprimento (utilizada por F. para realizar a tentativa de homicídio contra os policiais).

Perguntando-se aos outros dois cidadãos presos no interior do imóvel (J. M. e J. C.), eles alegaram que o imóvel era de propriedade deles e que F. apenas se valeu do local para tentar se furtar da prisão.

Os donos da casa foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e favorecimento pessoal.

Fonte: Jovemsulnews (Caroline Torres)

« »