Quem quer ser candidato? E quem quer votar?

Semana decisiva para os pré-candidatos está chegando. Teoricamente passarão seus nomes pelo primeiro teste de popularidade ao colocarem-se à disposição dos partidos para disputa eleitoral.

Quem quer ser candidato? Muitos partidos tiveram que sair a “caça” de interessados para preencher suas vagas, principalmente quanto às mulheres.

Infelizmente estamos dividindo os cidadãos em duas classes; políticos e não políticos. Os antigos não se cansam de nos decepcionar, com tremenda cara de pau abusam e roubam recursos públicos preciosos que deveriam ser utilizados nos investimentos para o desenvolvimento social e econômico geral.

Muitos que poderiam dar valorosa contribuição para uma gestão, em qualquer dos três poderes, incluo aqui até o judiciário, antes a atual situação inimaginável, não colocam seus nomes ao risco de degradação junto à opinião pública que infelizmente generaliza.

Infelizmente chegamos a um patamar insuportável aos homens e mulheres bem-intencionados, honestos e com disposição. São nas eleições municipais que temos a oportunidade de colaborar com a mudança que deveria ser desejada. É aqui, em nosso município e nos demais que nascem os pequenos, médios e grandes políticos. Vamos plantar boas sementes agora?

Percebemos na sociedade verdadeiras “campanhas” para que repudiemos os políticos que nos procurarem para pedir o voto na campanha que se inicia agora, já em setembro, para uma curta temporada de apenas 60 dias. Um erro fatal, que distancia ainda mais os homens e mulheres que poderiam ajudar na evolução política administrativa.

Será que estamos esperando que um super-herói saia das revistas de quadrinhos, dos desenhos animados, ou dos estúdios de Hollywood para nos salvar? Ou será que estamos esperando que um político bandido, escolado nas capitais, até na federal, sofra uma abstinência de honestidade, de sensibilidade e solidariedade, se converta como em um passo de mágica?

O que temos que repudiar não são aqueles que se apresentam para a campanha eleitoral, porque temos a oportunidade de avaliar e tomar a tão importante decisão do voto. Temos que repudiar políticos condenados em processos inúmeros que comprovam a sua desonestidade e ainda ficam insinuando que querem entrar na campanha, apenas para medir até onde vai nossa paciência e ou omissão.

« »